Uma planta: inúmeros benefícios

Canabinóides: Uma planta inúmeros benefícios

Um pouco de história

apepi - historia maconha medicinal

A possibilidade de utilizar a cannabis para tratar doenças não é nova. O primeiro uso comprovado da planta ocorreu em 2.300 antes de Cristo quando o imperador chinês Shen Nung prescreveu o cânhamo (uma resina feita da planta) para tratar dores, malária e constipação.

De lá para cá, a maconha foi utilizada por inúmeras civilizações para o tratamento de doenças como o glaucoma e a epilepsia. A grande descoberta da ciência moderna sobre a planta veio em 1965, quando o cientista Rafael Mechoulam da Universidade Hebráica de Jerusalém isolou um componente da cannabis – o Delta 9 Tetrahidrocanabinol, ou o que chamamos de THC – a molécula mais psicoativa da planta.

A partir daí foi possível identificar os potenciais terapêuticos da planta.

THC, CBD, Endocanabinóide

Além do THC, os cientistas já conheciam o canabidiol, o CBD.  Aqui no Brasil, o farmacologista Elisaldo Carlini foi pioneiro ao afirmar em 1973 que o CBD tinha propriedade antiepilética e sedativa. A conservadora comunidade científica brasileira reagiu.

Em 1992, o grupo de pesquisa de Mechoulam descobriu a anandamida, uma substância que o próprio corpo produz muito parecida com o THC. Mais à frente os cientistas descobriram a existência do sistema endocanabinoide dentro do corpo humano. Localizado no cérebro, ele produz substâncias muito semelhantes as da planta. Em contato com os chamados fitocanabinóides, como o THC e CBD, por exemplo, os receptores cerebrais do sistema endocanabinóide se conectam e essa parece ser a explicação para o potencial curativo da maconha para tantas doenças.

Quem são os canabinóides?

A cannabis possuí cerca de 100 substâncias identificadas. Destas, seis são canabinóides e se destacam:

THC

Fisicamente, o THC age como relaxante muscular e antiinflamatório; psicologicamente atua como estimulante. O THC produz efeito analgésico e pode ser usado no tratamento de dores, para aumentar o apetite.

Efeitos:

· Anticonvulsivo
· Antiinflamatório
· Antidepressivo
· Estimulante do apetite
· Diminuição da pressão arterial

CBD

Diversos estudos mostram que o cannabidiol não altera a atividade mental. Ao contrário, reduz os efeitos psicológicos da cannabis. Para a maioria dos pacientes, altos índices de THC e CBD irão gerar menos efeitos mentais e mais efeitos físicos. Altos índices de cannabidiol são especialmente indicados para doenças com sintomas físicos.

Efeitos:

· Analgésico
· Ansiolítico
· Antiemético
· Sedativo
· Anticonvulsivo
· Anti-psicótico

CBN

O cannabinol, também conhecido como CBN, é um metabólito do THC, mas tem efeitos psicológicos menores.

Efeitos:

· Diminuição da pressão intraocular (usado no tratamento de glaucoma)
· Analgésico
· Anticonvulsivante

 

Conheça alguns dos benefícios da cannabis medicinal:

EFEITOS1

Este artigo foi útil? Entre em contato conosco pelo contato@apepi.org.